quinta-feira, 3 de junho de 2010

Torpor

Unhas vermelhas.
Celular, chaves, caneta.
Foi a última coisa que vi...
O mundo girou numa fração de segundos, pouco tempo para que pudesse contar.
Cai numa exaustão que me afetava desde o dedo do pé até à nuca. Jamais senti aquilo.
Dor, medo, angústia, escuridão... Tudo isso ao mesmo tempo. Em proporções jamais imaginadas por mim.
"Calma, vai passar... Vai passar..." - Pensei.
De repente, me vieram as lembranças de quantas vezes já emiti as mesmas palavras.
Não só para mim, mas para os outros, também.
Quantas vezes eu realmente acreditei que elas pudessem ser verdade?
Falo e sempre falei do que vivi, do que passei. Sempre achei que minha dor era maior do que a de outra pessoa.
"Quem eles pensam que são, pra reclamar?"
...
Nessa agonia, só conseguia pensar nisso. Até o dor escruciante se tornou secundária.
"Eu errei?" "Hey, eu realmente errei?"
...

Quem sabe.



Quem sabe a resposta, quando se trata do que cada um viveu?

Nenhum comentário: