segunda-feira, 9 de novembro de 2009

distante

Manter-se longe.
às vezes, eu sinto que o maior motivo que me faz levantar todos os dias é esse: Manter-se longe.
E quando o desespero e aquela angústia cai em cima de mim,
me tirando todas as chances de respirar,
eu só penso o quanto preciso ficar longe.
Logo recupero a sanidade e o fôlego,
respiro tão profundamente, que chega a doer...
Então eu lembro que o tempo passa.
Que tudo passa.
Vai já passar.


"Time passes. Even when it seems impossible. Even when each tick of the second hand aches like the pulse of blood behind a bruise. It passes unevenly, in strange lurches and dragging lulls, but pass it does. Even for me.

Nenhum comentário: