domingo, 7 de junho de 2009

o mundo é um moinho.

as palavras não são contratos eternos.
eu sei que eu não vou descobrir tudo o que desejo nesse mundo, embora
isso me pareça peculiar e atrativo o suficiente.
ando cansada...
mas ando com uma vontade tão grande de continuar com não sei o que..
Não sou daqui, isso não é clichê.
Não me importo, ou seja exatamente isso o que eu faço: me importar!
Sofro... mas nem choro mais.
talvez o mundo seja mesmo um moinho...



O mundo é um moinho.

'Ainda é cedo amor
Mal começaste
A conhecer a vida
Já anuncias
A hora de partida
Sem saber mesmo
O rumo que irás tomar...

Preste atenção querida
Embora eu saiba
Que estás decidida
Em cada esquina
Cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo
Não serás mais
Quem tu és...

Ouça-me bem amor
Preste atenção
O mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos
Tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões à pó...

Preste atenção querida
De cada amor tu herdarás
Só o cinismo
Quando notares
Estás à beira do abismo
Abismo que cavaste
Com teus pés...'

por Cartola.

Um comentário:

Victor Manfredine disse...

são nessas horas que eu vejo que todas as coisas são complicadas demais pra gente ficar ali, e ser contra mudanças.
talvez seja a hora de pensar diferente. de agir diferente.
e assim:
nós somos jovens.
e temos todo o tempo do mundo.
=*