quarta-feira, 8 de abril de 2009

inveja.

O seu sorriso sempre foi tão cativante
Quase que irritante e sereno sempre está
Tantas mulheres, galanteios elegantes
Que o meu dinheiro nunca conseguiu comprar

Eu nem sei o que dizer nesse momento
Mas o que você tem
É o que me corrói por dentro

Não sei porque você insiste em ser tão bom
Assim, sempre o melhor
Eu só queria te poupar do seu talento
A sua alegria me dói

Sua rotina é tão disciplinada
Quem dera revirar sua bela mansão
Infernizar um pouco dessa calma
Que me consome e despedaça o coração

Eu nem sei o que dizer nesse momento
Mas o que você é
É o que me corrói por dentro

Não sei porque você insiste em ser tão bom
Assim, sempre o melhor
Eu só queria te poupar do seu talento
A sua alegria me dói

Me dói.

Um comentário:

Victor Manfredine disse...

aí está !
a gente quer e merece,
exclusividade.
e as pessoas acham que
nos enganam.
não. pelo menos à mim não!
basta um olhar e as coisas mudam.
quer ser feliz?
seja feliz primeiro sozinha.
com você mesma.
aí então você parte pro 2° passo.