terça-feira, 28 de outubro de 2008

Eu Me AcErTo...

Não pensa mais nada
No final dá tudo certo de algum jeito
Eu me acerto, eu tropeço
E não passo do chão
Pode ir que eu aguento
Eu suporto a colisão

Da verdade na contra-mão
Eu sobrevivo
E atinjo algum ponto
Eu me apronto pro dia seguinte
Escovo os dentes
Abro a porta da frente
Evito a foto sobre a mesa
E ninguém aqui vai notar
Que eu jamais serei a mesma.
Escovo os dentes
Abro a porta da frente
Evito a foto sobre a mesa
E ninguém aqui vai notar
Que eu jamais serei a mesma.

Por Zélia Duncan.




Ninguém vai notar... :)




Dheyva Blanmy

Um comentário:

Victor Manfredine disse...

é consequência
do aprendizado sabe..
efeito da vida!
e ainda bem que é assim.
não imagino outra forma
de aprender, se não for
através dos nossos
errozinhos básicos.
doer dói.
mas aí a gente passa
um mertiolate em cima
que nem percebe depois.. =]